Blogger Templates by Blogcrowds

Papo Rápido - Em DVD

Up - Qual o problema de você conceder um trabalho nota dez? O próximo, obrigatoriamente e logicamente tem que ser nota onze, o posterior doze, e assim por diante. É assim com os textos do blog, com os trabalhos da escola e com qualquer coisa que você se propõe a fazer. A Pixar enfrenta esse grande problema toda vez que anuncia e lança um novo filme. Cada filme tem que superar o anterior, são pressões impostas pelos fãs e por eles mesmos. De onde eles tiram histórias tão originais e criativas? Não sei, mas gostaria de saber. De onde eles tiram personagens tão cativantes? Também não sei. Será uma fonte mágica? Será que são alienígenas vindos de marte feitos especialmente para nos presentear com excelentes animações? Acho meio improvável, talvez eles sejam simplesmente pessoas objetivas e corajosas, inteligentes e persistentes, é claro que a sorte e a estrela ás vezes brilha mais do que as estrelinhas dos outros, mas não podemos negar a genialidade de cada um. Depois de Wall-e, muitos pensavam que a Pixar não conseguiria se superar, que eles não conseguiriam repetir o feito e lançar outra obra prima. Para alguns, eles realmente não lançaram, para outros fizeram um obra melhor, para outros, e me incluo neste grupo, eles mantiveram a perfeição. Na verdade, eu não sei se Up é melhor que Wall-e, pois isto é realmente difícil, mas não é pior, não é ruim, só parece não ter o mesmo brilho.

Up talvez não tenha esse tal "brilho" por ser mais infantil que o filme anterior. É claro que para as crianças isso é bom, mas para os maiores, isso não agrada tanto, e isto toma uma proporção maior quando lembramos de Wall-e. Um roteiro mais infantil e personagens mais infantis compõem a trama. Isto não é um demérito, mas torna o filme um pouquinho (pouquinho mesmo) menor. A técnica perfeita da Pixar continua lá. Os detalhes que só eles dão atenção estão lá (note a barba de Carl que cresce gradativamente) e o roteiro extremamente original e criativo também está lá. Cada filme da Pixar tem uma mensagem, muitas delas adultas, em Up, os caras da Pixar resolvem falar sobre um tema perigoso: vida e morte. E é ao falar de morte, um tema tão complexo, que Up se sobressai: em alguns minutos a vida de Carl e Ellie juntos é contada, até a morte da mulher, triste por sinal. Carl, a partir daí se torna um homem solitário e um velho rabugento. Quando casados os dois tinham planos de viajar para um lindo lugar, mas alguns imprevistos e a morte da mulher impossibilitaram a realização de tal sonho. Um tempo depois da morte de Ellie, Carl decide ligar milhares e milhares de balões em sua casa, fazendo com que a casa voe. Carl consegue, mas em compensação leva consigo o chato escoteiro mirim Russel. Juntos aprendem o que há de mais importante na vida e passam incríveis aventuras. Os roteiristas fogem de clichês inevitáveis nos concedem um belo e completo filme. Condições de figurar entre os dez indicados a melhor filme no Oscar 2010 tem, mas não sei se teria se fosse apenas cinco vagas.

O DVD é muito bom. Trás um capa muito bonita e bem acabada, nos extras, há um making-of completo que mostra as viagens dos realizadores do longa, há o curta-metragem Partly Cloudy, um curta inédito com o cachorro Dug, o extra Os vários finais de Muntz e trailers de outros lançamentos. Um DVD bem completo. O DVD está disponível para locação há poucos dias, então corra agora mesmo ás locadoras e assista pela primeira vez ou novamente, você não vai se arrepender.

Filme: 8,5
Extras: 8,0
Partly Cloudy: 9,0
A Nova Missão de Dug: 8,0
____________________________________________________________________
Coraline - Lançado há algum tempo nas locadoras, esta animação em stop motion dirigida por Henry Selick (O Estrango Mundo de Jack) visualmente perfeito e narrativamente inteligente, Coraline é uma animação que agrada mais os maiores do que os pequenos. Posso estar enganado, mas a trama é tão sombria e o filme em si é tão sombrio que as crianças talvez não se sintam atraídos pelo universo de Coraline. Ou não, talvez seja isso que chame atenção de uma criança: o medo e o sombrio. Selick, como eu já dissera algumas linhas acima, foi o responsável pelo excelente e belo O Estranho Mundo de Jack, assim como no filme produzido por Tim Burton, aqui ele a mesma técnica de stop motion, a mesma áurea sombria e o mesmo charme alarmante. Ao contrário de filmes como A Noiva Cadáver, Coraline tem seus movimentos tremidos, o que é perfeito, afinal esse é o charme do stop motion, que é filmado movimento por movimento, centímetro por centímetro. O design dos bonecos e dos cenários são mais que perfeitos. Assim como no outro filme de Selick, a direção de arte do filme é excelente. Cada personagem, cada cenário, tudo é muito bem desenhado e, posteriormente, bem construído. A fotografia (sim, ou você acha que animações não possuem um diretor de fotografia...) com paletas dessaturadas no mundo real e com cores vivas no mundo alternativo, a fotografia, juntamente a direção de arte, é um dos melhores aspectos do filme.

Coraline Jones é uma curiosa e aventureira menina de 11 anos. Ela acaba de se mudar do Michigan para o Oregon e, sentindo falta dos amigos e vendo os pais ocupados demais com o trabalho, realmente duvida que seu novo lar possa lhe oferecer algo intrigante. Mas ela percebe que está enganada ao descobrir uma porta secreta dentro de casa que leva a uma versão alternativa de sua vida. Superficialmente, essa realidade paralela é parecida com a sua – só que muito melhor. Mas essa realidade paralela logo se mostra perigosa, quando sua mãe alternativa diz que ela só poderá viver para sempre no mundo paralelo se costurasse botões no lugar dos olhos. Coraline que já fora avisado sobre tal pedido nota que o perigo e iminente e resolve tomar as devidas precauções. Baseado no livro de Neil Gaiman, Coraline é realmente um filme para os maiores, e não para os pequenos, o que o torna um filme mais fácil de ser indicado. O desfecho da estória é que não agrada. Caindo em clichês imbecis e em um desfecho pouco inspirado e mal resolvido, Coraline falha apenas no final, tornando-o de imediato em um filme falho.

O DVD é bem luxuoso, mas os extras não possuem legendas em português, há vários pequenos making-ofs que mostram os detalhes da produção de Coraline, desde a criação dos bonecos até a montagem do filme, mas todos eles só podem ser acompanhados em inglês. Há também cenas excluídas e sem legendas. Uma pena, pois valeria muito a pena saber dos maiores segredos da tão caprichada produção, até vale a pena apenas assistir, mas você não irá entender muita coisa. Um bom filme que não está isento de falhas, mas que vale a pena ser assistido.

Nota: 7,0
Extras: 5,0

Matheus Pereira

3 comentários:

Garoto, agora vc me matou de curiosidade! Qual seria o final ideal de Coraline? Responde por scrap se achar que dá spoiler.

5 de dezembro de 2009 15:26  

SPOILER de Coraline:
Ana, achei o final clichê: todos reunidos, prontos pra comemorar o final feliz, achei que o filme perdeu metade da força com o final, até a vilã aparecer tava tudo perfeito, depois que ele surge tudo fica tão igual aos outros, perde a força e o final não me agradou, talvez um mais sombrio e menos clichê. hehehehehehe

5 de dezembro de 2009 20:35  

Dark Matt...Esse seu lado eu não conhecia.

7 de dezembro de 2009 19:06  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial