Blogger Templates by Blogcrowds

Papo Rápido - Em DVD

Che - Steven Soderbergh é um cineasta estranho e corajoso. Antes o homem dirigia um filme a cada dois anos, agora ele dirige uns dois ou três em um ano apenas. Já lançou filme comerciais e autorais, sempre foi um diretor de alguns altos e muitos baixos, nunca agradou a maioria, mas também nunca parou de lutar. Eis que Soderbergh lança o que talvez é seu mais ambicioso filme: Che. A biografia do revolucionário Ernesto "Che" Guevara, que ficou mais famoso que o verdadeiro mentor e líder da Revolução Cubana: Fidel Castro. O filme era um sonho de Soderbergh e do ator Benício Del Toro e pode ser realizado há uns meses atrás. O cineasta decidiu dividir a longa história do revolucionário em duas partes: Che: O Argentino e Che: A Guerrilha. Os dois filmes juntos, totalizam nada mais, nada menos que longas quatro horas e alguns desgarrados minutos.

O filme em si não apresenta grandes defeitos, seu maior problema talvez seja o fato de não explicar a fundo os objetivos do guerrilheiro, e nem daria para mostrar tudo, pois se mostrasse o filme teria seis horas de duração. Então, antes de assistir o longa, aconselho que você pegue um livro de história e leia um pouco sobre Che e seus objetivos. Leia um pouco sobre a Revolução Cubana, não vai te fazer mal e te dará conhecimento, se você não souber no mínimo o que foi a revolução você não entenderá metade do filme, e ficará perdido logo na primeira fala do filme, em que uma repórter pergunta a Che o que ele acha se os esforços dos norte americanos para ajudar os latinos tivesses êxito, e se a mensagem da revolução perderia sua força se isso acontecesse. Se você não tiver ao menos uma base não entenderá e não saberá que os norte americanos começaram a bajular e financiar os latinos por que viram que os princípios de Fidel e de Guevara estavam tomando cada vez mais espaço na população latina, ou seja, a população estava ficando do lado de Guevara e os norte americanos não queriam isso, os americanos queriam que todos ficassem do lado deles, do lado capitalista, vendo que estavam perdendo aliados, começaram a tratar os latinos com respeito. Enfim, é bom tentar conhecer um pouco da história para entender o filme melhor.

Falando sobre o filme, basta dizer que há de se ter paciência para assisti-lo. O filme é longo e não há cenas de batalhas e explosões. Tudo é muito calmo e real. Nada é exageradamente cinematográfico, com explosões e efeitos visuais, tudo acontece de maneira crua, seca e direta. As cenas de batalha são as mais realistas possíveis, e todos os trejeitos do revolucionário são adotados com maestria por Benício Del Toro, que merecia um Oscar pela brilhante atuação. Todos os traços que marcaram o revolucionário e que o transformaram num ícone (boina, charuto, cabelos longos e embaraçados, barba, farda...) estão lá, a primeira parte de Che é tudo o que um fã do guerrilheiro quer ver e ouvir. Em momento algum Soderbergh e os roteiristas transformam Che em herói, o que é um escolha correta, já que o próprio Che nunca quis ser visto como um. Montagem excelente e roteiro perfeito, Che ainda consegue ser um ótimo filme para os olhos, já que é tecnicamente excelente, com destaque para a fotografia. Destaque também para a música "Fusil contra Fusil", que toca nos créditos finais. O DVD duplo trás uma capa luxuosa e bela, mas em compensação o dvd de extras é péssimo, trás apenas uma galeria de meia dúzia de fotos, um trailer, a versão em MP4 e um making-of curtíssimo de dez minutos. O filme merecia um material extra melhor. Enfim, ainda não assisti a segunda parte do projeto, mas este primeiro já me surpreendeu, sendo melhor do que o esperado.

Filme: 8,0
Extras: 3,0
____________________________________________________________________
Contos do Dia das Bruxas - Produzido em 2007 para a TV (não me diga que o filme iria para os cinemas por que não iria!), Contos do Dia das Bruxas surpreende. Sim, por incrível que pareça e apesar de alguns clichês, o filme até que surpreende, sendo melhor do que se espera de filme do gênero. O filme reúne quatro contos de caos e malevolência que se passam numa noite de Halloween, o interessante é que os contos não são contados separadamente, todos eles se ligam, alguns têm uma ligação logo no início, outros se ligam nos minutos finais, o que torna o filme mais sério e mais interessante. As histórias se entrelaçam ou diretamente ou num simples esbarrão numa festa de Halloween, no fim, o roteiro surpreende por se interligar mais do que nós espectadores achamos que se interligariam.

Sei que está fora de época para se comentar um filme sobre esse tema, confesso que tentei alugá-lo no Dia das Bruxas, mas outra pessoa já o alugara, só agora consegui assisti-lo, então só agora consegui escrever uma crítica para ele. Possui alguns clichês e algumas cenas desnecessárias, mas nada que faça dele um filme insuportável. Tecnicamente é um filme menor para o cinema, mas muito avançado para ser um filme para TV. Com um excelente fotografia (note as cenas em que a história do acidente com o ônibus escolar é contada, com imagens caprichadas) e uma maquiagem apenas boa(a cena em que certas personagens se transformam em lobisomens teoricamente até pode ser interessante mas na pratica fica devendo, talvez pelo baixo orçamento) Contos do Dia das Bruxas é o típico filme que você assisti a noite, com os amigos ou com a namorada, come uma pipoca, se diverte um pouco mais de uma hora e depois vai dormir pensando nele, mas no outros nem se lembra realmente do filme que assistira, só lembra que gostou. "Contos..." me lembrou muito os contos de Stephen King, seja devido aos rumos que tomam ou devido à loucura que alguns possuem.

O DVD é bem bonito e caprichado(afinal, todos os DVD distribuídos pela Warner são muito bem feitos), trás um pequeno documentário muito interessante sobre as origens do Halloween , cenas deletadas com opção de comentários do diretor, uma comparação de uma mesma cena com e sem efeitos visuais e um curta metragem que se passa na noite de Halloween dirigido pelo diretor do filme, também trás opção comentário do cineasta, é interessante assitir o curta com comentário, pois o diretor revela interessantes segredos sobre a animação. Todos com legendas em português. Enfim, assista sem compromisso, não seja muito crítico e não dê muita atenção aos clichês, se divirta e no final você vai se surpreender com os resultados que o filme proporcionou.

Filme: 7,0
Extras: 6,0
Curta metragem: 7,0

Matheus Pereira

1 comentários:

Che é muito bom e realista. Como vc disse, o filme acerta ao apresentar um personagem bastante humano ao invés de heróico. Estou esperando pela 2ª parte.

3 de dezembro de 2009 17:38  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial