Blogger Templates by Blogcrowds

Especial Oscar 2013 #12 - As Melhores Atrizes




Se Emmanuelle Riva vencer o Oscar de Melhor Atriz será por puro mérito. Não que as outras não mereçam ou não contem com isso, mas no caso de Jennifer Lawrence e Jessica Chastain, por exemplo, está o fator “campanha”. Foram incontáveis entrevistas, propagandas, risos, amizades, fotos, campanhas publicitárias de vários tipos e uma simpatia sem fim apenas para conseguir alguns votos dos acadêmicos. Riva, no entanto, não participou deste jogo de favores e características próprias de uma eleição. A veterana usou a maior arma que tinha: seu talento, sua brilhante atuação. Em nenhum momento se viu a atriz tentando angariar votos em entrevistas dizendo que faria aniversário no dia da cerimônia, ou que é a mais velha da categoria, ou que é um marco na história do Cinema (algo que outras atrizes adorariam dizer em busca de votos). Não será total surpresa caso receba o prêmio no domingo, afinal de contas ela merece.


Jennifer Lawrence é uma jovem e talentosa atriz. E o predicado “jovem” pode lhe custar muitos votos e até mesmo a estatueta. Lawrence certamente terá outros grandes momentos em sua carreira e certamente será indicada mais vezes ao Oscar e com chance de vitória. Seria injusto, ao menos agora, concorrendo contra a grande atuação de Emmanuelle Riva, vencer sendo que terá muitas chances no futuro. Dar um Oscar para ela agora é lhe tirar um prêmio muito mais merecido no futuro; algo muito parecido aconteceu com Russel Crowe em 2001: vencedor do Oscar de Melhor Ator por Gladiador, o sujeito veio a merecer o prêmio realmente no ano seguinte, em Uma Mente Brilhante, mas como ele já tinha um, a estatueta foi para Denzel Washington. Lawrence tem, sem dúvida alguma, uma grande atuação em O Lado Bom da Vida, mas todos sabem que ela terá outras ainda melhores nos próximos anos.


Jessica Chastain não é esse fenômeno que comentam em A Hora Mais Escura. A atriz – uma das melhores a surgir nos últimos anos – tem uma boa atuação, mas longe de merecer um Oscar. Seu papel não é muito convidativo (leia-se: é antipático) e a atriz parece não fazer esforço algum para conectá-lo ao público. Não que isso seja necessário, já que vários personagens se beneficiam com o distanciamento do público, mas Maya, a agente da CIA que caça Bin Laden, é tão distante que o público não consegue acompanhar seus passos sem perder a conexão com tudo que acontece. Entende-se que a própria personagem não tem vínculos com ninguém, sem família, amigos ou algum animal de estimação. Maya tem um foco: o trabalho, e por se dedicar tanto, consegue o que quer. Chastain, porém, falha em um dos pontos de seu próprio trabalho como atriz: trazer o público para si e trancafiá-lo no universo no qual a história se passa. Ainda assim é um bom trabalho em um ótimo filme.


Naomi Watts merecia o Oscar em 2004, quando concorreu por 21 Gramas. Era um papel difícil e a atriz conseguiu criá-lo sem exageros, com comedimento e riqueza de detalhes. Desta vez Watts vem com uma atuação pequena se comparada às demais. Sua personagem aparece relativamente pouco para lhe valer uma indicação ao Oscar na categoria principal. É claro que o que deve fazer a atriz faz e muito bem, ainda assim é pouco para o que se espera em uma categoria de Melhor Atriz. De qualquer modo, Watts não tem chances de levar o prêmio.


Quvenzhané Wallis (apenas Wallis daqui para frente) é, sem dúvida, muito talentosa; mas disso para uma indicação ao Oscar tem uma grande diferença. É difícil “avaliar” a atuação de uma criança da idade de Wallis. Será que não se trata apenas de uma criança inteligente, esperta que se expressa muito bem? Será que ela apenas reage ao que lhe é pedido? Seria o que vemos ali pura atuação? Uma pessoa em plena consciência do que faz, do que é atuar? São muitas perguntas que colocam a indicação da pequena de nove anos (seis, na época em que atuou no filme) ao Oscar em terreno duvidoso. Que ela é uma graça, emociona, faz rir, rouba a cena e carrega o filme, isso é bastante claro; a dúvida de que ela merecia a indicação ou não, porém, ainda fica.

***

Infelizmente não houve tempo de escrever os textos sobre as atrizes coadjuvantes. De qualquer forma, é bastante claro que a vencedora será Anne Hathaway, por Os Miseráveis.

2 comentários:

gosta da emmanuele rivas mais ,é como a chuva na escola que nao cai porque nao? acho que tenque ver isso dai

23 de fevereiro de 2013 00:30  

Olá Matt!
Olha eu aqui de novo rs
Bom, concorso totalmente com o que você disse e compratilho com você a preferência pela vitória da esmagadora e arrebatadora atuação da grandiosa Emmanuelle Riva! Aliás, Amour é meu filme favorito deste Oscar 2013 junto com Indomável Sonhadora e Django Livre.
Não sou fã do filme da temporada ~Argo~ acho ele tão apenas um bom filme e só. Ficarei feliz se ele não ganhar o Oscar.
Estou tão ansioso por esse Oscar que tenho certeza que mesmo se tudo for como parece ser (Argo ganhando Melhor Filme) eu ficarei feliz, já que os indicados e o show que o Oscar pretende ser amanhã já dá uma banho nas edições anteriores!
Abraços Matt! Até os próximos posts!
CRIA LOGO O FACEBOOK e a PAGE do BLOG kkkkk =D Olha eu enjoando pela 432843895734953 vez.

23 de fevereiro de 2013 08:25  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial