Blogger Templates by Blogcrowds

De Cinéfilo Pra Cinéfilo

Halloween

Por Matheus Pereira

É Halloween. Uma data comemorativa importante no calendário norte americano. Talvez mais importante que o Natal, para os habitantes da terra do Tio Sam. No período de comemoração do Halloween, filmes de terror são lançados no cinema e as redes de televisão passam em sua programação filmes denominados "assustadores" comemorando o "Dia das Bruxas".

A origem do halloween remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., embora com marcadas diferenças em relação às atuais abóboras ou da famosa frase "Gostosuras ou Travessuras", exportada pelos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração. Originalmente, o halloween não tinha relação com bruxas. Era um festival do calendário celta da Irlanda, o Festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro e marcava o fim do verão(samhain significa literalmente "fim do verão" ).

A celebração do Halloween tem duas origens que no transcurso da História foram se misturando:

Origem Pagã

A origem pagã tem a ver com a celebração celta chamada Samhain, que tinha como objetivo dar culto aos mortos. A invasão das Ilhas Britânicas pelos Romanos (46 A.C.) acabou mesclando a cultura latina com a celta, sendo que esta última acabou minguando com o tempo. Em fins do século II, com a evangelização desses territórios, a religião dos Celtas, chamada druidismo, já tinha desaparecido na maioria das comunidades. Pouco sabemos sobre a religião dos druidas, pois não se escreveu nada sobre ela: tudo era transmitido oralmente de geração para geração. Sabe-se que as festividades do Samhain eram celebradas muito possivelmente entre os dias 5 e 7 de novembro (a meio caminho entre o equinócio de verão e o solstício de inverno). Eram precedidas por uma série de festejos que duravam uma semana, e davam início ao ano novo celta. A “festa dos mortos” era uma das suas datas mais importantes, pois celebrava o que para nós seriam “o céu e a terra” (conceitos que só chegaram com o cristianismo). Para os celtas, o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não haveria fome nem dor. A festa era celebrada com ritos presididos pelos sacerdotes druidas, que atuavam como “médiuns” entre as pessoas e os seus antepassados. Dizia-se também que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar seus antigos lares e guiar os seus familiares rumo ao outro mundo.

Origem Católica

Desde o século IV a Igreja da Síria consagrava um dia para festejar “Todos os Mártires”. Três séculos mais tarde o Papa Bonifácio IV transformou um templo romano dedicado a todos os deuses (panteão) num templo cristão e o dedicou a “Todos os Santos”, a todos os que nos precederam na fé. A festa em honra do Todos os Santos inicialmente era celebrada no dia 13 de maio, mas o Papa Gregório III mudou a data para 1º de novembro, que era o dia da dedicação da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro, em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente. Como festa grande, esta também ganhou a sua celebração vespertina ou vigília, que prepara a festa no dia anterior (31 de outubro). Na tradução para o inglês, essa vigília era chamada All Hallow’s Eve (Vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas All Hallowed Eve e “All Hallow Een” até chegar à palavra atual “Halloween”.

Bem, agora que você já conhece um pouco sobre a origem do Halloween, é interessante dizer, que hoje, os conceitos do Halloween são bem diferentes do original. O que antes era um ritual, uma comemoração, hoje é dita como diversão, embora se comemore, o Halloween mais diverte do que faz pensar. A imagem do medo do terror é praticamente errônea, os filmes de terror lançados constantemente usam o "dia dos mortos" para poder fazer sucesso, ou seja, com o passar do tempo é que o Halloween foi incorporando esta imagem sobrenatural, devido a comemoração ser voltada principalmente para os mortos.

Mas como o nosso assunto é cinema, vamos ver os cinco filmes que merecem ser assisitidos nesse Halloween:

1 - O Exorcista

Quer sentir medo? Quer sentir seu coração bater tenso e apertado? Quer tremer a cada ruído? Quer fechar os olhos e se esconder a cada cena? Quer tampar os ouvidos para não escutar a voz gutural da menina possuída? O Exorcista é o filme certo. Na minha opinião, este é o filme mais assustador de todos os tempos. Em 2001 o filme fora relançado com onze minutos de cenas inéditas. O resultado? O filme fora, novamente, um sucesso, e mesmo quase trinta anos depois o filme gelou a espinha dos espectadores. Dentre as cenas mais notáveis, a pobre Regan, possuída, desce as escadaria de sua casa como uma aranha, jorrando sangue pela boca, e fazendo uns ruídos assustadores. O filme vencera os Oscar de Roteiro Adaptado e Edição de Som, e fora o primeiro e único filme de horror indicado ao prêmio de Melhor Filme. Um feito até hoje insuperável. A cena do exorcismo final entrou para a história do cinema, as longa cena do ato religioso é tensa e inesquecível. Assista se tiver coragem.

2 - Halloween - A Noite do Terror

O filme de John Carpenter trás a alma do Halloween tão forte, que seu poder está até no nome. Em 1978 o pscicopata Michael Myers estreava no cinema para fazer história. O ano é de 1963, Michael Myers, uma criança de 6 anos, ataca a própria irmã, Judith Myers com uma faca e é trancado no Instituto Psiquiátrico Smith´s Grove, onde fica sob os cuidados de Dr. Sam Loomis, e 15 anos mais tarde, o maníaco escapa do manicômio e passa a perseguir três jovens: Laurie Strode, Annie e Lynda. O Maníaco torna uma obsessão para o psiquiatra Dr. Loomis, que passa a seguir os passos do seu paciente serial killer. Um detalhe: Myers foge no dia de Halloween. O filme custou 325 mil, arrecadou 47 milhões só nos EUA e gerou sequências e recentemente uma refilmagem. Na época das gravações, devido ao baixo orçamento, não fora contratado um figurinista, o que fez com que os atores viessem com as roupas que usavam no dia a dia.

3 - A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça

Ok, ok! Sei que este nem é um filme de horror, mas é bem obscuro e remete diretamente ao Halloween. Esta ótima obra de Tim Burton diverte e tem cérebro. A lenda do cavaleiro que perdera a cabeça e voltara anos depois para se vingar é puro Halloween. Tem tudo a ver. Até porque, no Halloween, rezam as lendas, que o cavaleiro volta com uma abóbora (um dos símbolos da dara comemorativa) no lugar da cabeça que fora arrancada. Tudo remete a Halloween: as abóboras estão lá, a obscuridade está lá, a lenda está lá, e até mesmo o nome da cidade (Sleepy Hallow) remete ao nome HALLOWeen. Logo, não poderia ficar de fora desta pequena lista. Burton usa os bons atores e a excelente cenografia, juntamente com a excelente direção de arte, para compor uma história emocionante, divertida e até mesmo aterrorizante. Um ótimo programa para o Halloween, ou cá para nós latinos: Dia das Bruxas.

4 - A Hora do Pesadelo

Não podia faltar, não é mesmo? Wes Craven lançara em 1984 um dos maiores ícones do horror: Freddy Krueger. Todos ficaram reciosos de dormir, e acabar "sonhando" com Krueger. Caven conta a história do molestador de crianças que é assassinado pelos pais de suas vítimas e volta para se vingar das pessoas envolvidas e suas famílias. Não é um primor de originalidade, mas há algo no filme que faz com que várias pessoas o admirem. Talvez sejam as mortes, talvez seja o "carisma" do vilão. Vieram seis (!) sequências, e uma refilmagem está chegando. É realmente um grande feito e um grande programa para o Halloween.

5 - Drácula de Bram Stoker

Uma aula de cinema na minha opinião. As trucagens, os efeitos, o figurino, a direção de arte, o roteiro, o clima teatral do filme, as atuações, e é claro, a direção mejestosa de Fracis Copolla. Tudo em perfeita sintonia. O tom humano dado ao Drácula é o melhor do filme, é o que surpreende. A edição de luxo no DVD é imperdível para cinéfilos! Lá, Copola e toda a produção explicam como fizeram as trucagens, os figurinos e os ensaios! Uma verdadeira aula de cinema! Imperdível! Os vampiros não podiam faltar! Halloween sem vampiro é Natal sem Papai Noel. É claro que existem outros filmes sobre vampiros melhores que este, mas este me conquistou, e como cinema é um primor, e já que o assunto aqui é cinema, este tem lugar reservado.

Enfim, Halloween sempre movimenta os cinemas, as escolas, as redes televisivas e outros meios, e quem ganha somos nós, quando algum filme realmente bom é lançado. Alugue, veja algum filme na TV ou se fores um medroso, fique dormindo ou leia um bom livro de horror. Halloween é uma data comemorativa especialmente norte americana, mas nós, aqui no sul, vamos no vácuo, vamos no embalo desta data tão aterrorizante. No final, o importante é se divertir e, é claro, assistir bons filmes.

1 comentários:

Adoro Drácula e confesso que não vi O Exorcista....já vi tantas cenas fora do contexto que acho que não sentirei nada...rssss
Legal a lembrança do A lenda do cavaleiro, um filme rápido mas muito bem feito..pelo menos dá pra copiar umas roupas pro Haloween, eu adoro o Christopher Walken nesse filme e como sempre, tenho problemas com o Johnny Depp, sempre fazendo o mesmo papel...será que Anjos da lei foi tão traumático na vida dele, Céus!!

31 de outubro de 2009 17:24  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial